Executado com 50 tiros, o ex-líder de torcida do Internacional e o filho, a esposa fica gravemente ferida em Sapucaia do Sul

Um homem e um menino foram mortos a tiros nesta quarta-feira (7) em Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana de Porto Alegre. O crime ocorreu em torno das 16h30, em frente à Estação Sapucaia do Trensurb. O adulto foi identificado como Gilberto Bitencourt Viegas, conhecido por ser um ex-líder da torcida Guarda Popular, do Internacional, pelo apelido de “Giba do Trem”.

Segundo a delegada Carolina Terra, Giba morreu dentro do automóvel alvejado por mais de 50 tiros de fuzil e de pistola 9mm. No carro, foram encontrados o corpo do menino e uma mulher ferida, que foi hospitalizada e corre risco de morte. A investigação não divulgou a identidade das demais vítimas.

A suspeita é de que a execução esteja relacionada ao tráfico de drogas. Segundo informações do major Luciano Moritz, do 26º Batalhão da Polícia Militar de Cachoeirinha, policiais foram deslocados para abordagem em uma casa na região, onde uma Range Rover estava estacionada e coberta com lona.

“Na abordagem, houve troca de tiros entre os policiais e os três suspeitos de terem participado do crime em Sapucaia. Um dos homens foi preso, mas os outros dois conseguiram fugir”, afirmou Moritz.

No local, a Brigada Militar encontrou duas pistolas, munições, carregador de fuzil, radiotransmissores, coletes balísticos, algemas e porção de maconha. Durante a operação, além da Rage Rover, os policiais recolheram um Ford Ka Sedan e um Honda CRV.

No final de 2015, Giba foi capturado na Região Metropolitana de Porto Alegre, após ter prisão preventiva decretada por espancamento de um tocedor colorado. Em função do ocorrido, o ex-líder da Guarda Popular foi excluído do quadro de sócios do Inter. Em 2014, chegou a ser baleado em abordagem da Brigada Militar, na capital.

PMs recolheram armamentos dos suspeitos do crime. (Foto: Divulgação/Brigada Militar)PMs recolheram armamentos dos suspeitos do crime. (Foto: Divulgação/Brigada Militar)

PMs recolheram armamentos dos suspeitos do crime. (Foto: Divulgação/Brigada Militar)

Imagens fortes 

ver mais notícias