Ex-senador Gim Argello e mais oito viram réus na Lava-Jato

SÃO PAULO – O ex-senador Gim Argello virou réu de uma ação penal em Curitiba. O juiz Sérgio Moro aceitou, nesta terça-feira, a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) na sexta-feira contra Gim e outras oito pessoas. O político, filiado ao PTB, foi acusado dos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução às investigações.

Moro não aceitou a denúncia do MPF contra duas pessoas ligadas a Odebrecht: Cláudio Melo Filho e Marcelo Odebrecht. Segundo o juiz, falta “justa causa” pata tornar a dupla ré também nessa ação penal. De acordo com o juiz, ao comentar uma doação feita pela empreiteira a campanha de Argello, “embora seja possível que tais valores se refiram à vantagem indevida, não há elementos suficientes a amparar uma denúncia”.

Argello é acusado de pedir propina a executivos das empresas investigadas pela Lava-Jato para que não fossem convocados a prestar depoimentos durante os trabalhos da CPI instaurada no Senado para apurar crimes havidos na Petrobrás e da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito instaurada no Senado e na Câmara para apurar esses mesmos crimes, tudo durante o ano de 2014.

ver mais notícias