Entorno de Dilma teme reação social por operação da PF na casa de Lula

BRASÍLIA – Ministros do entorno da presidente Dilma Rousseff já estavam desde cedo se telefonando para trocar informações sobre a operação da PF na 24ª fase da Operação Lava-Jato, que fez buscas na casa do presidente Lula na manhã desta sexta-feira. Um ministro próximo a Lula disse que está preocupado com a reação social que a ação pode gerar.

– CUT, movimentos sociais não vão se conformar com isso. Temo o que pode acontecer durante o dia de hoje. Não dá pra dimensionar o que pode acontecer – opina o ministro, que preferiu falar sob anonimato.

A avaliação de fontes do Planalto é que esta operação da PF foi um passo muito grande dos investigadores, que terão de justificá-la.

A presidente Dilma Rousseff resolveu antecipar sua ida ao Planalto, deixando sua residência oficial 45 minutos antes de sua primeira agenda, às 9h. Ainda assim, ela manteve o hábito de pedalar, entre as 6h e 6h55m da manhã.

ver mais notícias