DNA confirma que corpo queimado é de rapaz morto pela mãe por ser gay

Exames de DNA foram feitos e confirmaram que o corpo encontrado carbonizado em um canavial, em janeiro deste ano, é do jovem Itaberlly Lozano, de 17 anos. Caso ocorreu em Cravinhos, interior de São Paulo.

A Polícia Civil afirmou que o jovem foi assassinado pela própria mãe por ser homossexual. A mulher teve ajuda do padrasto do garoto para incinerar o corpo.

Itaberlly foi atraído para a casa da mãe, onde se deparou com os jovens Victor Roberto da Silva, de 19 anos, Miller da Silva Barissa, de 18, e por uma adolescente de 16. Lá chegando, levou uma surra dos garotos, que tentaram enforcá-lo. Como ele resistia, a mãe por si própria esfaqueou o filho no pescoço.

Uma semana antes do crime, a vítima fez uma postagem na rede social Facebook onde relatava a violência que sofria pela mãe: “Lembrando que essa mulher que eu chamava de mãe me espancou e colocou uma renca de mlk (moleques) atrás de mim para me bater, me pôs para fora de casa e me deu uma pisa (surra), sabe por quê? Porque eu sou gay”.

A mãe e o padrasto estão presos. Eles culpam os garotos pela morte de Itaberlly, dizendo que só os chamou para dar um “corretivo” no filho. Já a defesa dos garotos dizem que foi a mulher quem matou o filho.

ver mais notícias