Dilma ‘estranha’ prisão de Paulo Bernardo e pede detalhes a aliados

BRASÍLIA — A presidente afastada Dilma Rousseff conversou com interlocutores e ex-ministros sobre a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo. Dilma quis saber os detalhes da prisão e entender as razões. Dilma ainda não havia conversado com a senadora Gleisi Hoffmann, mas estava procurando informações.

A reação de Dilma “estranhamento” diante de uma prisão, feita com base num inquérito antigo. Hà ainda indignação entre petistas sobre a forma como foi feita a prisão, considerando que desrespeitaram a residência de uma senadora, Gleisi, que é casada com Paulo Bernardo.

Petistas que estiveram com Gleisi contaram que ela estava na residência e que seus filhos se assustaram e choraram muito.

A petista, como o site de O GLOBO mostrou mais cedo, pensou em se licenciar da comissão do impeachment, mas os petistas não deixaram.

Há uma preocupação óbvia que isso possa enfraquecer o movimento feito para tentar reverter votos no Senado no caso do impeachment. O ex-presidente Lula, como revelado mais cedo, orientou os senadores petistas a reagir. Mas o discurso oficial é de que isso não afeta.

O PT também questiona o fato de a PF ter entrado na casa de uma senadora. O primeiro vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), disse na reunião da bancada mais cedo que conversaria sobre isso com o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).

ver mais notícias