Desembargador nega pedido para Cavendish e Cachoeira saírem sem tornozeleira

 

RIO – O desembargador Paulo Espirito Santo, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), negou nesta segunda-feira pedido da defesa do bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, para cumprir a prisão domiciliar sem a tornozeleira eletrônica. Cachoeira, o ex-dono da Delta Fernando Cavendish e outras três pessoas tiveram a prisão preventiva decretada na Operação Saqueador convertida em domiciliar, mas não foram para casa por conta da falta de tornozeleiras no estado do Rio. A decisão do desembargador se estende a todos os demais presos.

Em sua decisão, Paulo Espirito Santo esclarece que o pedido deverá ser apreciado pela 1ª Turma Especializada, em julgamento que ainda não tem data definida. O Ministério Público Federal (MPF) entrou com recurso depois que o desembargador Ivan Athié converteu a prisão preventiva dos acusados em domiciliar.

 

ver mais notícias