Deputada do PT discute com manifestante na Câmara

BRASÍLIA – Uma cena vista na Câmara nesta quarta-feira resume os ânimos acirrados em Brasília. A deputada Moema Gramacho (PT-BA) almoçava em um dos restaurantes da Casa, quando foi abordada por uma manifestante pró-impeachment, que, filmando a deputada, a questionou sobre a possibilidade de a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) ser presa.

Gramacho, que usava uma faixa de “Fora, Cunha”, disse que a manifestante, que não foi identificada, puxou sua roupa para ver o que estava escrito na faixa.

Irritada, a petista perguntou se ela apoiava o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A moça respondeu que não. Já exaltada, a petista pediu então que ela dissesse “Fora, Cunha”, o que a manifestante se recusou a fazer. A cena, presenciada pela equipe do GLOBO, chamou atenção dos presentes. Gramacho recebeu apoio de servidores que, do lado de fora do restaurante, a defenderam.

Após o ocorrido, a deputada disse que vai registrar ocorrência e acusou a manifestante de querer intimidá-la.

— Eu sentada, quieta no meu canto comendo, e vem essa mulher perguntando da Gleisi. Estou sendo afrontada por essa idiota, que estava me filmando. Vou registrar ocorrência sim, os servidores estão proibidos de se manifestar — afirmou, confundindo a mulher com uma servidora da Casa.

Na semana passada, a Polícia Federal indiciou Gleisi e o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, por corrupção passiva em um dos inquéritos da Operação Lava-Jato. O indiciamento consta em relatório do delegado Thiago Delabary enviado ao STF. O ex-ministro é acusado de intermediar o pedido de dinheiro para a campanha da mulher.

ver mais notícias