Defensores de Dilma calculam 57 votos contra a presidente

BRASÍLIA – Senadores aliados à presidente Dilma Rousseff que chegaram ao Senado para a votação da admissibilidade do impeachment reconhecem que entre 56 e 57 parlamentares votarão a favor do afastamento, um placar que já seria suficiente para a condenação definitiva da presidente. Para o processo ser admitido e a presidente ser afastada por até 180 dias, é necessária maioria simples: 41 senadores. A confirmação da condenação no processo, depois do afastamento, depende de dois terços dos votos, ou seja, 54 votos.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ calculava existirem nesta quarta 56 ou 57 votos a favor da admissibilidade do impeachment e 23 ou 24 votos contra. Cálculo semelhante fazia a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Para ela, Dilma deverá ter 24 ou 25 votos a favor de sua permanência no governo.

— Não é fácil para eles terem 54 votos no momento do julgamento do impeachment. Se Michel Temer estiver mal avaliado daqui até esse julgamento, ele não terá os 54 votos — disse Lindbergh.

ver mais notícias