Cunha proíbe servidores de participarem de protestos na Câmara

BRASÍLIA — O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), determinou que os servidores da Casa não podem mais se manifestar politicamente no interior da Casa. Um comunicado da Diretoria Geral da Câmara informa que, por ordem de Cunha, reitera a “todos os servidores que são proibidas manifestações de apreço ou desapreço nas dependências da Casa”. E diz ainda que quem quiser se manifestar que o faça fora das dependências da Câmara e em horário de folga. “Ressalta-se ainda que as manifestações são livres para os mesmos servidores, enquanto cidadão, desde que fora da Câmara e do expediente”.

Nas reuniões da comissão do impeachment, servidores contrários ao afastamento de Dilma Rousseff têm levado pequenos cartazes com dizeres “contra o golpe”. Na tarde desta quarta-feira, um grupo de petistas se manifesta contra a decisão de Cunha num dos halls da Câmara. Com cartazes de “Fora Cunha”, acusam o presidente de cercear o direito de manifestação.

– É uma atitude ditatorial. A que ponto chegamos – disse a deputada petista Moema Gramacho.

ver mais notícias