Corpos de vítimas de acidente com ônibus são enterrados no litoral de SP

SÃO SEBASTIÃO – Os corpos das vítimas do acidente com o ônibus que transportava universitários na Rodovia Mogi-Bertioga começaram a ser enterrados na manhã desta sexta-feira em São Sebastião, litoral de São Paulo. Os velórios começaram no fim da noite de quinta-feira. A maioria terminou na manhã desta sexta-feira, após missa de corpo presente. No acidente, 17 passageiros e o motorista do veículo morreram. Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas.

Na quadra poliesportiva municipal da Barra do Una, onde foram veladas oito das 18 vítimas, uma missa de corpo presente foi realizada por quatro padres de diferentes paróquias de São Sebastião.

A maioria das vítimas morava em São Sebastião. Oito dos velórios aconteceram em uma quadra poliesportiva da Barra do Una: Natália Rodrigues Teixeira, Maria Maceno de Souza, Daniela Mota Dias, Lucas Inácio Alves Pereira, Daniel Oliveira Damasio, Gabriela Silva Oliveira dos Santos, Rita de Cassia Alves de Lima e Damião Nunes Bras. As despedidas foram acompanhadas por centenas de pessoas, entre parentes, amigos e moradores de São Sebastião.

O velório da estudante de psicologia Ana Carolina da Cruz Veloso aconteceu em Juquehy, numa cerimônia restrita à família. Camila Alves foi velada em Boiçucanga. O corpo da baiana Sonia de Jesus, de 43 anos, que estudava Serviço Social, foi o único a ser velado no Cemitério de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo. Na Grande São Paulo, em Itaquaquecetuba, aconteceu o velório de Guilherme Mendonça de Oliveira.

O corpo do motorista do ônibus, Antonio Carlos da Silva, foi levado para Caraguatatuba. Ele será enterrado na cidade de São Luiz do Paraitinga, no Vale do Ribeira. No Paraná, parentes se despedem de Carolina Marreca Benetti.

O ônibus transportava universitários de Mogi das Cruzes para São Sebastião e tombou na pista sentido litoral. No km 84 da rodovia, na descida da serra, o motorista perdeu o controle logo depois de fazer uma curva, atravessou a pista, bateu em um rochedo, capotou e caiu em um barranco.

Familiares das vítimas atribuem a uma possível imprudência do motorista Antônio Carlos da Silva, de 38 anos, a causa da tragédia. Parentes lembram do incômodo de alguns estudantes com a alta velocidade dos ônibus noturnos. O motorista enviou uma mensagem de texto ao irmão avisando que demoraria para chegar devido à neblina na estrada. A Polícia ainda investiga o caso.

ver mais notícias