Coordenador do MST diz que, se Temer assumir, ‘não terá paz’

BRASÍLIA – Um dos coordenadores nacionais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Alexandre Conceição afirmou na tarde desta segunda-feira, em ato pró-Dilma Rousseff na Câmara, que se o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), assumir a presidência, não terá paz. O MST entende que afastar Dilma é um golpe e anunciou também que os manifestantes sem-terra que virão para Brasília para participar da marcha de 31 de maio permanecerão na capital até o desfecho do processo de impeachment na Câmara.

— O que está ocorrendo é um manobra inconstitucional, um golpe. Tanto Eduardo Cunha, réu no Supremo e acusado de muitos crimes, como o vice Michel Temer não vão ter paz. Vamos fazer uma luta política forte. Para manter os ganhos sociais, só há uma saída: manter Dilma na presidência — disse Alexandre Conceição ao GLOBO.

O líder do MST contou que os sem-terra vão permanecer em Brasília após dia 31.

— O pessoal já está acostumado a suportar e vai ficar o tempo que for necessário — disse.

Ele disse que se Eduardo Cunha marcar a sessão do impeachment para um domingo, como chegou a ser divulgado, os sem-terra estarão nas ruas.

— Não há a menor dúvida. O dia que for o pessoal vai para a rua.

ver mais notícias