Com Dilma, Mercadante diz que medidas econômicas trarão 'desordem e retrocesso'

BRASÍLIA – Mais um ex-ministro escalado pela presidente afastada Dilma Rousseff para atacar o governo interino, Aloizio Mercadante, que comandava a Educação, disse que as medidas econômicas anunciadas por Michel Temer são um “ataque” contra políticas sociais. Mercadante afirmou ainda que se o crescimento do gasto total do governo fosse limitado à inflação do ano anterior – como quer o governo com a aprovação de proposta de emenda à Constituição -, a Educação teria perdido R$ 500 bilhões na última década.

“Se tivesse sido adotada nos últimos 10 anos de governo Lula e Dilma, a medida proposta de reajustar os recursos para educação e saúde pela inflação do ano anterior, nós teríamos tido uma perda da ordem de R$ 500 bilhões”, escreveu o petista no Facebook de Dilma, ao lado da presidente afastada no Palácio do Alvorada.

Mercadante criticou que o governo “provisório” ameaça políticas sociais e a redução de desigualdades, além de armar um “golpe contra a Presidenta”.

“O lema do governo provisório é ‘Ordem e Progresso’. Com as medidas que estão sendo anunciadas, teremos no País ‘Desordem e Retrocesso”, afirmou o ex-ministro, que teve o pedido de quarentena aceito pela Comissão de Ética Pública. Ele receberá o salário integral, de R$ 30,9 mil, por seis meses e não poderá trabalhar, para evitar conflito de interesses.

Na semana passada, a presidente afastada convocou ex-ministros para responder a internautas sobre áreas críticas da gestão Temer: Cultura, políticas sociais e Previdência, em três dias consecutivos.

ver mais notícias