Chefe da AGU rebate representação de Cardozo na Comissão de Ética da Presidência

BRASÍLIA — O advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, respondeu nesta terça-feira o ex-ministro José Eduardo Cardozo, que entrou com representação na Comissão de Ética da Presidência contra o seu sucessor negando que tenha cometido desvio de finalidade. Ele criticou duramente o atual chefe da pasta.

No último dia 18, Osório disse ao GLOBO que iria apurar possível desvio de finalidade cometido por Cardozo, ao classificar o processo de impeachment como golpe de Estado e “defender pedaladas como política de Estado”.

Osório respondeu que “jamais” questionou a conduta de Cardozo como advogado, “mas sim como agente política cujo cliente era a República Federativa do Brasil”.

— A União Federal era ou deveria ser a cliente do Advogado Geral da União e o tema referente aos limites da atuação do anterior AGU frente aos interesses da União Federal é objeto de apuração na corregedoria. Não se trata de pretender punir alguém, mas sim de aperfeiçoar as instituições – disse o novo AGU.

Na representação à Comissão de Ética, Cardozo alega que a defesa que faz de Dilma não é “uma heresia capaz de exigir o exorcismo de quem a defende”, e tem natureza político-jurídica. O ex-ministro diz que recebeu as acusações de Medina Osório com “absoluta estupefação”, e sugeriu “empáfia” e “autoritarismo” de seu sucesso na AGU.

ver mais notícias