Central sindical convoca greve geral em todo o país


Centrais sindicais, movimentos sociais e categorias trabalhistas realizam nesta quarta-feira uma greve geral 25 estados e no Distrito Federal contra a reforma da previdência e a reforma trabalhista, propostas do governo Michel Temer (PMDB) que tramitam no Congresso.

Os protestos estão sendo chamados pelos manifestantes como o Dia Nacional de Paralisação e Mobilização e devem envolver categorias dos setores de transportes, educação, estudantes, bancários, trabalhadores dos Correios, entre outros.

Em São Paulo, a Justiça do Trabalho determinou em decisão liminar que os metroviários terão de manter efetivo de 100% durante o horário de pico e 70% no resto do dia nesta quarta-feira (15) sob a pena de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento. Segundo a assessoria de imprensa da categoria, a paralisação de cinco linhas do Metrô está mantida, mas os metroviários estão reunidos em assembleia para decidir como isso será feito.

Manifestantes também bloqueiam rodovias e avenidas em protesto. A Rodovia Presidente Dutra tinha, às 7h, bloqueio da pista principal por manifestantes em Taubaté, na altura do quilômetro 117, no sentido São Paulo. Um grupo ocupava, por vota das 7h15, parte da Avenida das Nações Unidas, na zona sul da capital paulista.

Já os ferroviários afirmam que vão manter as linhas da CPTM funcionando normalmente.

ver mais notícias