‘Brasil não é a República da cobra’ , diz autora do pedido de impeachment

SÃO PAULO – Durante ato de juristas a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, realizado em frente ao Largo São Francisco, na USP, em São Paulo, na noite desta segunda-feira, o discurso da professora Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff juntamente com Hélio Bicudo e Miguel Reali, foi o que chamou mais atenção. Em sua defesa enfática, aos gritos, a jurista afirmou em sua fala que “as cobras que estão no poder estão se aproveitando para se perpetuar”, referindo-se claramente ao ex-presidente Lula, que se autodenominou como uma “jararaca” recentemente durante um discurso no diretório do PT.

O vídeo com o tom exaltado de Janaína, que até girou uma bandeira nacional, repercute nas redes sociais nesta terça-feira. – Nós queremos servir a uma cobra? O Brasil não é a República da cobra. Nós somos muitos migueis, muitas janainas, muitos celsos, muitos danieis. Nós não vamos deixar essa cobra dominando porque somos seres de almas livres – disse Janaína.

Em outro momento, Janaína fez menção a um ditado popular sempre preconizado por seu pai e, mais uma vez, faz uma menção velada a Lula: – Não vamos abaixar a cabeça. Desde pequenininha que meu pai me diz ‘Janaína, Deus não dá asa para cobra’. E eu digo: ‘Pai, às vezes, a cobra cria asa. Mas Deus manda uma legião para acabar com a cobra’. Acabou a República da cobra!.

ver mais notícias