Autora de pedido de impeachment: ‘chance de reconstrução do país’

SÃO PAULO – Autora do pedido de impeachment que será votado nesta quarta-feira no Senado, a advogada Janaina Paschoal afirmou que esta é “uma chance de reconstrução do país” e que prefere não fazer projeções sobre o resultado.

– O sentimento que tenho hoje é de resgate de cidadania seja qual for o resultado, é uma chance de reconstrução do país. Espero que Temer, caso assuma, tenha grandeza de entender o momento que vivemos e coragem para fazer mudanças necessárias – disse Janaína.

A advogada acompanha a votação de seu escritório, em São Paulo, e diz que vai aguardar o resultado com “serenidade”. Ao contrário do que fez no dia em que a Câmara votou pelo prosseguimento do processo, Janaína não deve ir para a avenida Paulista, local onde grupos anti-governo normalmente se reúnem para protestar.

– Acho que não seria adequado eu sair para comemorar. O processo está só começando. As outras pessoas, claro, tem todo o direito de ir – contou.

Os juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr., que assinam o pedido com Janaína, apostam que a maioria dos parlamentares vá se manifestar pelo afastamento da presidente Dilma Rousseff. Reale Jr. disse ter boa expectativas quanto ao governo de Michel Temer, que assume a Presidência caso o afastamento de Dilma se concretize.

– A expectativa é boa. O país enfrenta uma situação difícil e terão de dar respostas a isso. Precisa aprovar medidas urgentes, como a meta fiscal, reduzir o número de ministérios e continuar com a Operação Lava-Jato – disse.

Já Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT, criticou a montagem da equipe de ministros do vice-presidente.

– Eu acho que o Michel Temer precisa ouvir mais aqueles que construíram esse momento para o Brasil. Ele está olhando pouco para a população ao organizar seus ministérios. É um grande engano – disparou.

Janaina e Reale rebateram a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) que, no início da sessão desta quarta-feira, colocou o pedido de impeachment sob suspeição. A parlamentar alegou que, por terem elaborado um parecer encomendado pelo PSDB, os dois não seriam isentos para pedir o impeachment de Dilma. Reale é filiado ao partido.

– Sou uma advogada, dou pareceres. Ela sabe que esse pedido não nasceu do PSDB, foi uma iniciativa pessoal – disse Janaína.

– O pedido que está nas mãos do Senado hoje está muito bem baseado, tanto é que já foi reconhecido pela Câmara e pelo STF. Nada é leviano – completou Reale.

ver mais notícias