Apaixonado não correspondido esfaqueia e mata vizinha

Um crime bárbaro com motivação passional chocou a população de Belo Horizonte, em Minas Gerais. A vítima, uma estudante universitária de apenas 21 anos, morreu sábado (29), na frente da mãe e do irmão pequeno.

O assassinato foi praticado por um vizinho, Ezequiel Miranda da Silva, de 41 anos, que nutria um amor platônico pela estudante e sabia que não era correspondido. O acusado morava no prédio ao lado.

De acordo com conhecidos, o agressor era apaixonado pela vítima e afirmava que ela não retribuía às suas investidas para iniciar um relacionamento.

Isabella Perdigão Martins Ferreira cursava o 6º período de Economia da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Belho Horizonte.

Sua morte ocorreu dentro da própria casa onde morava com a família. No momento do crime estavam na residência a mãe e o irmão pequeno dela. O imóvel fica localizado no bairro Coração Eucarístico, na parte Noroeste da capital mineira.

Conforme informou a Polícia Militar à imprensa, o assassino teria problemas psiquiátricos. Ele aproveitou que a jovem estava saindo de casa de carro, por volta das 8h15, para fazer a abordagem. Assim que o portão da garagem se abriu ele a atacou ainda no carro. Foram desferidos três golpes a faca.

O pai da vítima, que não morava com ela, estava por coincidência na residência. Ele percebeu a movimentação e desceu até a garagem para tentar defender a filha. Os dois chagaram a entrar em luta corporal. Ezequiel também o esfaqueou, mas isso depois de já ter feito os ferimentos fatais na jovem.

 

Paralelamente, a mãe da vítima, desesperada, subiu para o apartamento e se trancou no banheiro com a outra filha, de 25 anos. O assassino invadiu o apartamento e após arrombar a porta botou fogo em um sofá da sala.

Residentes de outros apartamentos do prédio e da rua chamaram rapidamente a Polícia Militar,  que chegou a tempo de prender Ezequiel e controlar as chamas, evitando o incêndio de proporções maiores.

Pai e filha foram resgatados e levados  para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste. No entanto, por conta dos graves ferimentos a jovem entrou em óbito ainda no percurso. O pai teve cortes apenas em uma das mãos e foi liberado no mesmo dia.

Amigos, parentes e conhecidos ficaram consternados e muito indignados com o episódio. A família comunicou o luto no perfil da estudante no Facebook e muitos alunos da universidade e também amigos e familiares usaram o espaço para manifestar pesar e para pedir uma punição severa ao rapaz.

ver mais notícias