Após descartar Mariz de Oliveira para Justiça, Temer faz desagravo

BRASÍLIA — Após desistir de convidar Antônio Cláudio Mariz de Oliveira para ser ministro da Justiça em seu eventual governo, devido às críticas feitas pelo advogado à Operação Lava-Jato, o vice-presidente Michel Temer divulgou nesta sexta-feira nota de desagravo ao seu colega. No texto, Temer elogia Mariz e afirma que as especulações sobre a montagem do novo ministério geraram “injustiça grave” em relação ao advogado.

Leia a íntegra da nota:

“As especulações sobre eventuais ministeriáveis publicadas nos últimos dias produziram injustiça grave em relação ao brilhante advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, profissional de trajetória intimamente ligada à luta pelos valores democráticos, de ética inatacável e comportamento irreparável. Quero corrigir essa injustiça ressaltando a história de vida de Mariz, esse extraordinário amigo que me incentivou muitíssimo no fortalecimento de nossas instituições. Foi ele quem me apoiou na Assembleia Nacional Constituinte a propor artigo que tornou o advogado função indispensável à administração da Justiça.

Mariz é exemplo de dignidade profissional, com renome nacional e internacional. Foi um excelente presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo e excepcional Secretário de Segurança Pública. Por tudo isso e pela relação tão próxima, tornou-se natural a citação de seu nome para ocupar cargo de Ministro da Justiça se eventualmente houver decisão do Senado sobre a continuidade do processo de impeachment. Destaco que, no entanto, jamais houve convite. Assim sendo, não poderia ter sido eliminado. Presto esta homenagem a Mariz e espero repor os fatos em sua verdadeira dimensão. Mariz é um grande amigo e nesta condição espero tê-lo ao meu lado sempre”.

ver mais notícias