Após decisão do STF, Gil Rugai volta a ser preso em São Paulo

SÃO PAULO – A Justiça de São Paulo decretou a prisão do ex-seminiarista Gil Rugai, condenado pela morte do pai, Luis Cargos Rugai, e da madrasta, Alessandra Troitino, em 2004. A decisão, do juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5ª Vara do Júri da Capital, teve como base a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determina o cumprimento de pena a partir de condenação em segunda instância. Gil Rugai se entregou na noite desta segunda-feira.

Condenado, em 2013, a 33 anos e 9 meses de prisão, Rugai teve o direito de recorrer em liberdade em razão de ainda estar pendente à época julgamento do habeas corpus perante o STF. Gil Rugai havia deixado a prisão em setembro do ano passado, beneficiado por um habeas corpus condedido pela Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Julgado prejudicado o mérito desse habeas corpus, o juiz determinou sua prisão. Desde o início do processo, esta é a sexta vez que Gil Rugai vai para a prisão. Ele está na cela em uma delegacia da capital. Ele será transferido para um presídio no estado de São Paulo.

O crime ocorreu em 2004, dentro da residência do casal em Perdizes, na Zona Oeste da capital. O casal foi morto a tiros. Gil Rugai alega inocência.

ver mais notícias