AO VIVO: Dilma lança Plano Safra da agricultura familiar com aporte de R$ 30 bilhões

BRASÍLIA – No ato de lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar no Palácio do Planalto o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, disse que é preciso afirmar “lealdade ao mandato da presidente” e o compromisso com os pobres. Segundo Patrus, o processo de impeachment é um golpe contra a democracia e contra as políticas sociais. Para o petista, setores das “oligarquias” não se conformam com a justiça social promovida pelas gestões de seus correligionários nos últimos anos.

— Quero registrar minha indignação cívica com o momento político atual e seus impactos sobre todos nós e também sobre as gerações futuras. Cidadãs e cidadãos que sempre lutamos para afirmação dos nossos direitos relativos à cidadania. Além da tentativa da quebra, através do golpe, da ordem institucional do mandato legitimamente exercido com toda a dedicação, competência e transparência, há também uma tentativa de golpe contra as políticas publicas sociais que nós implantamos no Brasil nos últimos anos — discursou o ministro, em uma longa fala para uma plateia lotada de integrantes dos movimentos do campo.

Ele citou o pacifista Mahatma Ghandi, pontuando que se calar neste momento é uma covardia. Segundo Patrus, setores da elite que defendem o impeachment carregam a marca do conservadorismo. Ele lembrou das oligarquias brasileiras que, no passado, resistiram à concessão de direitos aos escravos.

— Nesse momento, é preciso ter coragem de apontar a verdade. Setores das oligarquias e elites tradicionais do país bem conhecidas, as forças econômicas que trazem em seu DNA a marca do conservadorismo e da resistência às políticas públicas de inserção e justiça social estão tentando perpetrar um golpe contra a presidente, a constituição, o povo, o ideal de democracia e políticas públicas que promovem inclusão social e produtiva de milhões de famílias brasileiras que retiraram do mapa da fome — disse.

Com relação a essas “forças golpistas”, Patrus lembrou o educador Darcy Ribeiro, segundo quem “as elites brasileiras merecem nosso reconhecimento, nunca houve no mundo elites tão competentes que a preço tão pequeno para elas submetem um povo a uma dominação tão cruel por tanto tempo.”Segundo o ministro mineiro, a disputa em torno do impeachment, palavra que não mencionou nenhuma vez, gira em torno do uso dos recursos públicos.

— É essa disputa hoje: se nós vamos avançar ou se esses setores que não veem nenhum sentimento de pátria continuarão dominando e subjugando nosso país.A questão que está posta é o uso dos recursos públicos. Está na hora de afirmarmos lealdade à presidente Dilma, nosso compromisso com os pobres do Brasil, os que têm sede e fome de justiça, os que querem a função social da terra. Não podemos deixar que eles vençam mais uma vez. Em torno da presidente Dilma, nós venceremos — vaticinou.

Antecipado em um mês, o Plano Safra da Agricultura Familiar foi lançado no Palácio do Planalto com o aporte de R$ 30 bilhões para financiamentos de projetos individuais e coletivos. Os juros para os projetos são abaixo da inflação. A linhas de crédito para assentados da reforma agrária têm juros que variam de 0,5% a 1,5% e nas demais operações , os juros são de até 5,5%. Os limites de crédito para operações de custeio são de R$ 250 mil e nas contratações de investimentos os valores máximos são de R$ 330 mil.

Mais cedo, Dilma participou da cerimônia de acendimento da tocha olímpica. A presidente disse que o Brasil vive um momento político crítico, mas que o povo brasileiro sabe defender a democracia. Ela não mencionou o impeachment e pregou a tolerância.

ver mais notícias