André Moura critica recesso branco dado por Waldir Maranhão

BRASÍLIA — O líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), criticou o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), por viabilizar um “recesso branco”, inviabilizando trabalhos nesta semana. Após reunião com ministros da área de infraestrutura no Palácio do Planalto nesta segunda-feira, Moura pedirá a Maranhão “sensibilidade” para recuperar o tempo perdido na próxima semana.

— Convocar os deputados para se deslocarem de suas bases, em período eleitoral, para uma sessão somente terça pela manhã, somente com efeito administrativo, é praticamente dizer: “Não vem ninguém”. E se perde uma semana de produção, o que é muito ruim no momento que o país atravessa — disse o líder do governo na Câmara, que também classificou o momento na Casa de “instabilidade”.

Maranhão havia liberado os deputados durante esta semana, mas por pressões e pela repercussão negativa da decisão, voltou atrás e definiu sessões somente nestas segunda e terça-feira.

André Moura cita três matérias que deverão ser prejudicadas, e afirma que fará um “apelo” para que na próxima semana Maranhão tenha “sensibilidade” para recuperar votações que seriam nos próximos dias. O projeto do pré-sal — previsto para esta terça-feira em comissão especial —, a Lei Geral da Estatais —aprovada pelo plenário do Senado no último dia 15 — e a medida provisória 718, que altera normas tributárias e de controle de dopagem para as Olimpíadas devem sofrer atraso.

O líder do governo na Câmara pedirá ao presidente interino da Casa que na semana que vem as sessões possam começar na segunda-feira às 14h, com efeito administrativo, e ir até quinta à noite.

ver mais notícias