Aliados de Temer ameaçam modificar ministérios com emendas no Congresso

BRASÍLIA — Aliados do presidente interino Michel Temer apresentaram emendas no Congresso que desfiguram parte da reforma administrativa que reduziu ministérios. Há propostas para recriar a pasta da Cultura, separar a Previdência do Ministério da Fazenda, além de retirar as ações de comércio exterior do Itamaraty e deslocar as questões da agricultura familiar do Ministério de Desenvolvimento Social para a Agricultura.

Os deputados Paulinho da Força (SD-SP) e Lelo Coimbra (PMDB-ES) defendem que a Previdência volte ao Ministério do Trabalho, enquanto Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) propõe a recriação de uma pasta exclusiva para o tema.

“A incorporação pelo Ministério da Fazenda da pasta da Previdência é temerária se o sentido dessa mudança é apenas a realização de uma reforma previdenciária”, argumenta Paulinho.

Será debatida a recriação do Ministério da Cultura. Entre os aliados de Temer, há uma emenda do senador Romário (PSB-RJ) neste sentido. O presidente do Senado, Renan Calheiros, também defende essa ideia.

O líder do PRB, Márcio Marinho (BA), por sua vez, procura recuperar para a Indústria e Comércio, comandada por seu partido, temas do comércio exterior, deslocados por Temer para o Itamaraty atendendo a desejo do chanceler José Serra.

O senador Cidinho Santos (PR-MT), suplente do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, quer levar para a pasta do titular temas da área de Desenvolvimento Agrário, que foram deslocados para a área de Desenvolvimento Social.

ver mais notícias