Oi tem prejuízo de R$ 5,3 bilhões em 2015, com ajustes contábeis

RIO – A Oi registrou prejuízo líquido consolidado de R$ 5,3 bilhões no ano passado. O número é maior que as perdas de R$ 4,406 bilhões registradas em 2014. A estimava feita pela Bloomberg apontava prejuízo de R$ 1,638 bilhão para o ano. No quarto trimestre de 2015, a perda foi de R$ 4,5 bilhões, acima dos R$ 4,421 bilhões do mesmo período do ano anterior.

Segundo a companhia, o resultado foi impactado principalmente por ajustes contábeis (impairments) no total de R$ 3,1 bilhões. Desse valor, explicou a operadora, houve baixa de R$ 89 milhões sobre o valor justo da participação da Oi nos investimentos controlados na África, que reduziu o lucro operacional. Além disso, houve ajuste de impairment com uma perda de R$ 1,582 bilhão sobre o valor justo da participação da Oi nos investimentos não controlados em África, incluindo aqui a Unitel, que impactou a linha de resultado financeiro.

Houve ainda a provisão para perdas de Imposto de Renda Diferido, no montante de R$ 1,392 bilhão “para as empresas que não apresentaram expectativa de geração de lucros tributáveis futuros suficientes para compensar os créditos tributários”.

Além da Oi, outras empresas como Petrobras e Vale também sofreram com impairments.

A Oi destaca ainda que seu resultado foi afetado pela “deterioração das condições dos mercados financeiros no Brasil, com impacto significativo no aumento das taxas de juros”.

A operadora registrou uma geração de caixa operacional de rotina, medida pelo Ebitda, de R$ 7,230 bilhões. O número ficou acima do ano de 2014, quando registrou R$ 7,116 bilhões. A geração de caixa ficou ainda dentro intervalo do guidance (meta) de 2015 feito pela própria companhia, que oscilava entre R$ 7 bilhões e R$ 7,4 bilhões.

ver mais notícias