HSBC faz acordo de US$ 1,58 bilhão com acionistas

NOVA YORK – O HSBC Holdings concordou em pagar US$ 1,58 bilhão para resolver uma ação judicial movida, há 14 anos, por acionistas a respeito de alegações de que executivos da financiadora de hipotecas Household International, comprada pela instituição, enganaram investidores.

A unidade HSBC Finance vai registrar uma espécie de baixa contábil de US$ 585 milhões antes de impostos no segundo trimestre deste ano para resolver a questão, que a empresa controladora herdou quando comprou a Household em 2003, disse o banco em comunicado na quinta-feira. O acordo depende de aprovação da Justiça.

“Este acordo é muito pequeno para ter qualquer influência em decisões de dividendos”, escreveram, em nota a investidores, Mark Phin e Richard Smith, analistas do banco de investimento Keefe, Bruyette & Woods. “Nós

9% DO LUCRO

A baixa antes de impostos representa cerca de 9% do lucro antes de impostos estimado por analistas do Keefe, Bruyette & Woods para o segundo trimestre deste anos, antes do anúncio do HSBC.

Os investidores da Household entraram com a ação em 2002, alegando que a empresa e três executivos fizeram comentários sobre as práticas de empréstimos ligados a hipotecas que induziam ao erro.

Em 2009, um júri federal em Chicago determinou que os executivos tinham feito comentários enganosos imprudentemente. E, em outubro de 2013, um juiz condenou o HSBC a pagar US$ 2,46 bilhões por algumas acusações.

Em maio de 2015, a instituição ganhou direito um novo julgamento no caso, após uma corte de apelação dizer que os investidores não mostraram que uma queda no preço das ações da companhia não era resultante de outros fatores. De acordo com o jornal “Financial Times”, o acordo foi fechado horas antes do horário combinado para o começo do julgamento.

ver mais notícias