Hershey rejeita oferta de compra da Mondelez de US$ 23 bilhões

NOVA YORK – A Hershey rejeitou uma oferta preliminar de compra feita pela Mondelez International de US$ 23 bilhões, um acordo que teria criado a maior fabricante de confeitos do mundo. Segundo uma fonte da Bloomberg, as duas empresas vêm conversando nos últimos meses, sem que nenhum acordo fosse alcançado.

Uma união de duas das cinco maiores fabricantes de doces do mundo levaria a forte atuação da Hershey nos Estados Unidos para o portfólio global da Mondelez. A companhia combinada ultrapassaria a Mars, que tem 13,3% do mercado global, de acordo com dados do Euromonitor International.

A proposta — que oferecia US$ 107 por cada ação da Hershey e seria feita metade em dinheiro e a outra metade com troca de ações — foi rejeitada unanimemente pelo conselho da empresa, segundo comunicado divulgado na tarde desta quinta-feira.

Os papéis da Hershey — que chegaram a disparar 21%, após surgirem informações da oferta — interromperam sua alta depois que a empresa divulgou a negativa, mas continuam próximos da máxima já registrada, um sinal de que os investidores ainda estão na esperança de um acordo.

A oferta preliminar fora enviada pela Mondelez esta semana. De acordo com uma fonte da agência Reuters, a ideia era manter a marca Hershey, preservar os postos de trabalho e ajudar a companhia a se expandir internacionalmente.

Mas analistas foram céticos a respeito de propostas de compra da Hershey no passado.

“O Trust (Hershey Trust, espécie de fundação que controla a empresa)… é aparentemente muito comprometida em manter a companhia independente”, afirmou em junho de 2015 a analista Alexia Howard, da Bernstein. “Então é muito impossível para um ativista se envolver ou para a empresa ser comprada”.

ver mais notícias