Empresas que publicam ‘La Stampa’ e ‘La Repubblica’ vão se fundir

MILÃO – O grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e o Gruppo Editoriale L’Espresso estão combinando seus ativos editoriais em uma negociação que vai criar um “líder” na indústria italiana de publicações. A fusão vai unir em uma mesma empresa o jornal diário “La Repubblica”, a revista “L’Espresso” — ambos do grupo L’Espresso — e o jornal de Turim “La Stampa”, pertencente ao FCA.

A Itedi, unidade do FCA que publica o “La Stampa” assinou um memorando de entendimento para a fusão com o L’Espresso, de acordo com comunicados emitidos pelas empresas. O “La Stampa” é o terceiro maior jornal da Itália, logo atrás de “La Reppublica” e “Corriere della Sera”.

O acordo dá um reforço financeiro à holding editorial do FCA ao ligá-la ao L’Espresso — a maior empresa editorial da Itália com capital aberto, em valor de mercado — seis meses após a família Agnelli, da Fiat, aumentar sua participação na revista britânica “The Economist”.

O diretor presidente da Fiat, John Elkann, um líder da nova geração à frente dos negócios da família Agnellu, está construindo a combinação com jovem chefe de outra proeminente família industrial italiana, Rodolfo De Benedetti, que comanda o grupo CIR — cujas atividades atravessam as áreas de mídia, componentes automotivos e saúde.

— Os Agnelli querem uma nova entidade industrial com algumas marcas fortes e uma reputação muito boa — avaliou Enrico Valdani, um professor de gestão econômica e de negócios na Universidade Bocconi, em Milão.

Segundo Valdani, a combinação com o grupo L’Espresso faz sentido porque isso permitiria conter os custos e daria acesso a um conteúdo mais premium.

O jornal “Financial Times” ressaltou que o acordo liga o “La Stampa”, que é mais ligado à cidade de Tuim, a uma empresas que tem abrangência nacional.

Pela proposta, o FCA teria cerca de 16% da empresa que surgirá dessa união, enquanto o CIR, investidor que controla o grupo L’Espresso, seria dono de mais de 40%. Além disso, o Fiat Chrysler planeja se desfazer da fatia de 17% que detém no RCS MediaGroup, dono do jornal mais vendido da Itália, o “Corriere della Sera”.

Para o FCA, o acordo é “consistente com o desejo de aumentar o foco em seu negócio principal de fazer carros”, disse o grupo em comunicado publicado nesta quarta-feira.

ver mais notícias