Cenário político e EUA fazem dólar subir 0,52%, a R$ 3,598

SÃO PAULO – O ambiente político conturbado e a melhora dos dados de renda no mercado de trabalho americano fazem o dólar operar em alta nesta terça-feira. Às 13h49, a moeda americana era cotada a R$ 3,596 na compra e a R$ 3,598 na venda, valorização de 0,53% ante o real – na máxima a divisa já chegou a R$ 3,615. Pesa ainda no preço o fato de ser último dia útil do mês, quando é determinada a taxa para a liquidação de contratos do mercado financeiro. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrava leve queda de 0,11%, aos 48.910 pontos

No exterior, o dólar ganha força com a melhora dos dados de renda no mercado de trabalho americano. A renda pessoal teve alta de 0,4% em abril ante março e os gastos subiram 1%. O “dólar index”, calculado pela Bloomberg, registrava alta de 0,21%. Luciano Rostagno, estrategista do Mizuho Bank, o aumento dos gastos foi acima do esperado e pode influenciar na decisão do Federal Reserve (Fed, o bc americano) realizar uma nova alta de juros no curto prazo.

— Lá fora os dados americanos, principalmente o de gastos pessoais, vieram melhores que o esperado. De certa forma, isso estimula a alta de uma alta de juros nos Estados Unidos e é o principal fator para impulsionar o dólar em relação ao real. A moeda até abriu em queda, mas começou a subir após a divulgação desse dado — disse.

A volatilidade no período da manhã também se deve ao encerramento da Ptax do mês, taxa do Banco Central que serve como referência para a liquidação de contratos no mercado financeiro. “Lá fora, o dólar ganha da maioria das moedas fortes e emergentes. Aqui, devemos ter uma sessão de grande volatilidade porque é dia de formação de Ptax”, avaliou, em relatório, Guilherme França Esquelbek, analista da Correparti Corretora de Câmbio, lembrando que o BC irá ofertar à tarde US$ 4,7 bilhões com compromisso de recompra, mas a medida tem pouco efeito porque trata-se apenas

Do ponto de vista interno, pesa a saída do segundo ministro do governo interino de Michel Temer (PMDB). Na segunda-feira à noite, Fabiano Silveira pediu demissão do seu cargo no Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle após o vazamento de declarações dele criticando a operação Lava Jato. Na semana passada, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) também teve de deixar o comando do Ministério do Planejamento por motivo parecido. Essas mudanças geram temores nos investidores, que tem que o clima político atrapalhe a aprovação das medidas econômicas no Congresso nacional.

Além disso, lembra Rostagno, do Mizuho, causa desconforto o fato de dois senadores terem admitido a possibilidade de mudar o voto de favoráveis para contrários ao impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

Na segunda-feira, dia de poucos negócios no mercado financeiro global por causa do Memorial Day nos Estados Unidos e de um feriado bancário em Londres, o dólar comercial fechou em baixa de 0,85%, a R$ 3,579.

BOLSA EM ALTA

O Ibovespa até chegou a operar em alta, mas perdeu força e passou a acompanhar os índices internacionais. Os papéis preferenciais (PNs, sem direito a voto) da Petrobras caem 0,59%, cotados a 8,33, e os ordinários (ONs, com direito a voto) estão praticamente estáveis, com leve queda de 0,09%, a R$ 10,57. Essa queda ocorre apesar da alta do preço do petróleo no mercado internacional. O barril do tipo Brent registrava valorização de 0,34%, a US$ 49,93.

No caso da Vale, as ações preferenciais têm valorização de 1,23% e a as ordinárias sobem 1,89%. Os bancos, que possuem o maior peso na formação do índice, estão em terreno negativo. As preferenciais do Itaú Unibanco e do Bradesco registram variação positiva de, respectivamente, 1,44% e 1,08%.

Com a alta do dólar, as ações da Fibria registram forte valorização, uma vez que a maior parte de sua produção é voltada par ao mercado externo. Além disso, a companhia anunciou aumento de preço de seus produtos. As ações da empresa de papel e celulose sobem 4,84%.

As Bolsas americanas também operam em queda, apesar da melhora nos dados de renda do trabalhador. O Dow Jones cai 0,51% e o S&P 500 tem recuo de 0,21%.

ver mais notícias