Após votação no Senado, Bolsa avança 1% e dólar sobe a R$ 3,47

RIO – Prova de que grande parte do otimismo dos investidores com um governo Michel Temer já havia sido absorvida pelo preço das ações, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera sem euforia nesta quinta-feira em que Dilma Rousseff será afastada da presidência. O índice Ibovespa sobe 1,11%, aos 53.352 pontos, em linha com outras Bolsas e com o comportamento do petróleo. O dólar comercial, por sua vez, sobe 0,69%, cotado a R$ 3,469 para compra e R$ 3,471 na venda, em mais um dia de compra de dólares pelo Banco Central (BC) para segurar a desvalorização da divisa americana.

O dólar chegou a cair no início da sessão, mas inverteu a trajetória depois de o BC promover leilão de 20 mil contratos de swap cambial reverso, equivalente à compra de dólares no mercado futuro. A operação somou US$ 1 bilhão. Na véspera, a autoridade monetária realizou três leilões, em um total de US$ 2,39 bilhões.

Na véspera, enquanto os senadores ainda discursavam no plenário, a moeda americana registrou perda de 0,57% (R$ 3,447) mesmo com a atuação do BC.

Nesta madrugada, os senadores aprovaram o andamento do processo de impedimento de Dilma por 55 votos a favor e 22 contra, em uma sessão que durou quase 21 horas. Com seu afastamento, o vice-presidente, Michel Temer, assume interinamente a Presidência. A expectativa é que Temer anuncie Henrique Meirelles, ex-presidente do BC, como seu ministro da Fazenda, nome bem recebido pelo mercado.

Entre as ações, o Banco do Brasil ON opera praticamente estável, a R$ 20,46, mesmo após a companhia ter anunciado que fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 2,359 bilhões, queda de 59,5% ante mesmo período de 2015. O motivo foi o aumento da provisões contra calote no setor de óleo e gás, segundo informou o BB.

O rival Bradesco tem alta de 1,41% (PN, a R$ 27,27), e o Itaú Unibanco PN sobe 1,67% (R$ 32,85).

A Petrobras ON sobe 2,55% (R$ 13,24), enquanto a PN avança 1,56% (R$ 10,41). Na Vale, a ON registra valorização de 0,87% (R$ 16,08) e a PN, de 1,15% (R$ 13,17).

ver mais notícias