Dupla é presa após usar dinheiro falso para pagar Prefeitura no Amazonas

Dois homens foram presos no domingo (19), no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, depois que um assessor da cidade de Eirunepé, a 1.160 km de Manaus, denunciou uma transação com dinheiro falsificado feita com eles.

A Polícia Civil investiga crime contra a administração pública e lavagem de dinheiro pelo município. O assessor também deve ser investigado.
Lucélio Cabral, de 43 anos, e Sebastião Nunes de Freitas, de 49, teriam feito uma negociação com um assessor de Eirunepé – quem não teve o nome divulgado -, no dia 10. A dupla ofereceu R$ 300 mil para investir no município, e recebeu R$ 40 mil em contrapartida.

A negociação aconteceu em um hotel na capital, e o assessor relatou à polícia que só percebeu as notas falsificadas ao chegar em casa. “O assessor alega que o dinheiro era dele, que vendeu dois carros para conseguir o dinheiro. A autonomia dele para fazer negociações será investigada, porque pode ser um esquema de crime contra a administração pública e lavagem de dinheiro por parte da Prefeitura de Eirunepé. Qualquer convênio precisa de certidões negativas e uma série de procedimentos”, ressalta o delegado Guilherme Torres, diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado.
Dos R$ 40 mil pagos pelo assessor, R$ 17.610 foram recuperados com a dupla, que é de Goiás. À polícia, eles disseram que usaram parte do dinheiro para pagar hospedagem em Manaus e o restante foi depositado em contas de familiares.
Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (20), nenhum dos dois quis comentar as denúncias. A Polícia Civil informou que os dois já foram presos em Goiânia por estelionato.
Sebastião e Lucélio foram presos em cumprimento a mandando de prisão expedido pelo plantão da Vara Criminal. A origem do dinheiro falsificado também será investigada.

Fonte G1

ver mais notícias