Jogador ex-seleção diz que igreja o afastou do álcool e de Ronaldinho

naom_5814b32a3f854

O Atlético-MG de 2013 viveu dias de glória dentro de campo. E dois jogadores tiveram uma participação importante nesse período inesquecível para o Galo campeão da Libertadores: Ronaldinho Gaúcho e Jô.

De acordo com o UOL Esporte, a parceria entre eles se estendia para fora das quatro linhas. O meia e o atacante também formavam uma boa dupla nas noitadas de Belo Horizonte. Só que essa fase virou passado na vida de Jô, que se afastou do craque gaúcho, mas afirma que não houve briga.

“A gente se afastou (sobre R10). A gente não se fala há muito tempo. Alguns amigos se afastaram pelo fato de eu viver outra vida. A bebida é autodestruição. A bebida te faz largar a família para sair”, disse o agora evangélico Jô ao programa Esporte Fantástico, da rede Record.

O atacante, que deve se transferir para o Corinthians na próxima temporada, contou também que chegou ao fundo do poço após a dolorosa Copa do Mundo de 2014.

“Foi quando eu saí da Copa do Mundo e retornei ao Atlético. A fase ruim começou. Eu não fazia gols e separei da minha mulher. Eu não pensava mais em nada, só ficar sozinho, sair e fazer coisas erradas. Mudei da água para o vinho. Uma paz que foi muito bem para a minha vida. Sei exatamente as coisas erradas que eu fiz. Antes não tinha esse discernimento”, afirmou o atacante. ( Um Minuto)

 

ver mais notícias