Há seis meses, Tite assinou manifesto contra a CBF e Del Nero

Nome mais cotado para assumir a seleção brasileira, o técnico Tite já teve uma postura muito crítica em relação à CBF e ao atual comandante da entidade, Marco Polo del Nero. Há seis meses, o treinador do Corinthians assinou um manifesto cobrando a renúncia de Del Nero e eleições livres e democráticas na CBF.

Em dezembro do ano passado, o grupo Bom Senso FC e a ONG Atletas pelo Brasil lançaram o movimento #OcupaCBF, que pedia mudanças na entidade.

“Exigimos a renúncia definitiva de Marco Polo Del Nero e sua diretoria, seguida da convocação de eleições livres e democráticas para o comando da CBF”, dizia um trecho do documento assinado por 127 personalidades, muitas delas do futebol.

Enquanto aguarda a decisão final, o Corinthians trabalha para tentar manter o seu treinador. Tite deve comandar o time paulista no jogo desta quinta-feira, contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro. Em algum momento antes ou depois da partida, o técnico deve se pronunciar sobre o encontro que teve com Del Nero.

Nesta terça-feira, o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez disse que Tite “não é burro de ir para a seleção agora”. Já o atual presidente corintiano, Roberto Andrade manteve o discurso confiante na permanência do seu técnico.

– Sou bastante positivo e tenho convicção de que o Tite vai permanecer conosco. Enquanto o Tite não olhar para mim e disser que aceitou o convite da CBF, não quero pensar em outro (treinador). O treinador do Corinthians é o Tite até que ele me comunique que está saindo, mas eu não posso responder pelo Tite. Tenho a minha opinião e na minha visão, não é o momento. Deixaram um abacaxi tremendo para o Tite. Estamos em sexto na eliminatória e com chance de não classificar. Faltam dois anos para a Copa do Mundo, não sabe se chega… – disse.

Além de classificar o Brasil para o Mundial da Rússia, o desafio do futuro técnico da seleção será reconstruir um time que vem de seguidos vexames nos últimos anos. Depois do 7 a 1 na semifinal da Copa do Mundo de 2014, a seleção foi eliminada pelo Paraguai nas quartas de final da Copa América de 2015 e caiu na primeira fase da atual edição da Copa América, em um grupo que tinha Equador, Haiti e Peru.

Os resultados ruins acabaram causando a demissão do técnico Dunga. O ex-treinador da seleção desembarcou na noite de terça-feira em Porto Alegre já conformado com a saída da seleção e declarando que sempre fez o seu trabalho “com dignidade e transparência”.

Caso perca o seu técnico, Roberto Andrade terá que pensar em possibilidades no mercado. Um nome que agrada ao presidente corintiano é o de Oswaldo de Oliveira, atualmente no Sport. Eduardo Baptista, da Ponte Preta, e Mano Menezes, atualmente sem clube, também estão entre os cotados.

ver mais notícias