Rafael Moura marca em vitória do Figueirense sobre o Flamengo

O Flamengo bem que tentou, arriscou chutes de fora, especialmente com Alan Patrick, o melhor da equipe, mas não teve forças para vencer o Figueirense fora de casa neste domingo. A derrota para o time catarinense por 1 a 0, no Estádio Orlando Scarpelli, foi a segunda seguida da equipe de Zé Ricardo, que se afasta três pontos da zona de classificação para a Libertadores.

Sem César Martins suspenso e Juan lesionado, Zé Ricardo entrou em campo com Rafael Vaz ao lado de Léo Duarte. Recém-contratado, Réver ficou no banco. Momentos antes do jogo, o técnico ficou sem Fernandinho que sofreu uma trauma no joelho direito e deu lugar a Ederson no time titular.

Apesar de atuar fora de casa, o Flamengo fez um bom primeiro tempo, especialmente nos primeiros 20 minutos, quando arriscou muitos chutes de fora da área e dava a sensação de buscar a vitória a todo custo. Alan Patrick, Rodinei e Jorge tentaram de longe. A estratégia deixou o Figueirense acuado mesmo em casa.

A melhor chance do Flamengo, no entanto, não veio em chute de longe. Aos 13, Jorge fez boa jogada e passou para Felipe Vizeu na área. O centroavante chutou de primeira, mas a bola fez curva contrária à direção do gol. O goleiro ainda tocou a bola, que foi para escanteio.

Aos poucos, no entanto, a pressão do Flamengo diminuiu e o time da casa passou a ganhar espaço no meio-campo. A primeira grande defesa do jogo, de um lado ou de outro, aconteceu aos 27 minutos, quando Alex Muralha espalmou para escanteio uma tentativa de Dudu abrir o placar de bicicleta após matada no peito de Carlos Alberto.

O Flamengo continuava tentando de fora, como em chute fraco de Willian Arão que quase faz o goleiro Gatito Fernández aceitar. Enquanto isso, o Figueirense chegou de forma mais trabalhada. Aos 41, Carlos Alberto teve tranquilidade para aproveitar-se da marcação de longe de Rafael Vaz e passar para Rafael Moura na área. O atacante chutou de primeira, por cima de Alex Muralha, para fazer 1 a 0.

Após o intervalo, o Flamengo voltou com uma mudança. Zé Ricardo tirou o volante Márcio Araújo e colocou em campo o argentino Mancuello. A mexida fez o rubro-negro controlar melhor a posse e ter uma boa chance aos oito, quando Alan Patrick recebeu de Jorge e chutou para boa defesa de Fernández. Na sobra, Vizeu demorou para finalizar e foi desarmado.

Com o Figueirense já recuado e apostando em contra-ataques, Zé Ricardo fez duas mudanças antes dos 30 minutos. Primeiro, tirou Everton, que saiu chateado, para a entrada de Marcelo Cirino. Depois, tirou o apagado Ederson para a entrada de Gabriel.

No fim, na base da pressão sem tanta técnica, o Flamengo quase chegou ao empate. Nos dez minutos finais, Rafael Vaz teve duas chances de marcar, mas foi Gatito Fernández quem apareceu melhor, também ao evitar um cruzamento nas mãos de Felipe Vizeu.

ver mais notícias