Inspirado em Tyson, Justin Gatlin vence primeira grande prova dos 100m do ano

XANGAI – Principal esperança americana para pôr fim ao reinado de Usain Bolt, o campeão olímpico dos 100m em Atenas-2004, Justin Gatlin, fez um excelente início de temporada na abertura da prova mais badalada do atletismo na Liga Diamante. Em Xangai, neste sábado, ele venceu a distância sendo o único velocista a cruzar a linha de chegada com menos de 10 segundos: 9s94. Após a vitória, ele disse que está se inspirando em um atleta americano para tentar recuperar a medalha de ouro olímpica no Rio de Janeiro. O jamaicano foi campeão em Pequim-2008 e Londres-2012.

– Vim para a China para fazer o meu melhor. Este é um ano olímpico, e a temporada será bem longa. Mas eu e meu treinador temos um plano. Ele está me treinando como seu eu fosse o Mike Tyson. Tenho que nocautear meus oponentes e continuar o gingado. Não posso parar com uma única vitória – disse Gatlin.

Em Xangai, ele derrotou com propriedade cada um de seus adversários. Em segundo lugar, chegou o qatari Femi Ogunode, com 10s07. O também americano Michael Rodgers completou o pódio com 10s1. Apesar da vitória e da boa estreia, Gatlin sabe que ainda tem muito a evoluir até a Rio-2016. Ele teve apenas a quarta melhor largada em Xangai. Seu tempo de reação foi de 0s153.

– Confesso que eu não tinha um tempo em mente para fazer aqui em Xangai. Minha transição está boa, mas preciso melhorar minha partida. Mas cada corrida é uma evolução. Foi melhor do que eu fiz no Japão – disse Gatlin, que venceu um Grand Prix na terra nipônica, na semana passada, com o tempo de 10s02.

O tempo que Gatlin fez em Xangai é, relativamente, próximo ao que Bolt fez para vencê-lo no Mundial, do ano passado, que também aconteceu na China. Na ocasião, o jamaicano ficou com o ouro ao completar a distância em 9s79. Este tempo foi apenas um milésimo de segundo mais rápido que o de Gatlin, que ficou na segunda colocação.

Gatlin irá ao Brasil antes do megaevento. Ele é atração principal do Desafio Mano a Mano, marcado para acontecer no dia 5 junho. Nas últimas edições deste torneio, Bolt esteve presente, mas optou por não participar neste ano. Confiante, o americano não está com medo de ser derrubado por um dos maiores receios internacionais em relação ao megaevento.

– Não tenho medo da zika. Vou ao Rio para dar o meu melhor – disse Gatlin.

*Repórter viaja a convite da IAAF

ver mais notícias