Federação Internacional de Remo alerta contra riscos no Rio

A Federação Internacional de Remo (Fisa) publicou carta de recomendação aos atletas da modalidade que vão competir no Rio. O documento, divulgado no site da entidade, mistura dicas úteis com preconceitos, grandes exageros e até informações erradas.

Devido a preocupação com a má qualidade da água da Lagoa Rodrigo de Freitas, a carta recomenda banhos antes e depois das competições e limpeza com desinfetantes com álcool em remos, roupas e nos próprios atletas. Outra sugestão é que os remadores não mergulhem no mar antes das competições. O documento ressalva que elas são liberadas para banho na maior parte dos dias, mas, após as chuvas, o nível de coliformes fecais aumenta.

Outra preocupação da entidade é com a qualidade da comida. A Fisa pede que os atletas evitem comer na rua — fora da Vila Olímpica, de hotéis credenciados e áreas de competições — onde o controle é maior e não há má conservação.

“A ingestão de água das lagoas ou do mar deve ser evitada. Depois de estar dentro ou sobre a água das lagoas, use sabão o mais rapidamente possível para minimizar o risco de infecção. Tome cuidado extra com feridas cutâneas abertas ou bolhas abertas”, diz o documento.

Dentre os exageros estão a recomendação de que os atletas só escovem os dentes com água filtrada engarrafada, que se vacinem contra febre tifoide (principalmente para quem vai permanecer no Brasil), e lavar as mãos com sabão e desinfetar com álcool antes de cada refeição.

O documento fornece uma informação errada, ao dizer que a dengue não é uma doença comum no Rio. Só em janeiro deste ano foram quase 4 mil registros contaminação pelo vírus.

ver mais notícias