desligado

Juiz de Fora, MG Tanto esforço nos bastidores para criar e participar da Primeira Liga foi por água abaixo, ao menos esportivamente, ontem à noite em Juiz de Fora. Com quatro jogadores poupados do time titular por Muricy Ramalho (Rodinei, Ederson, Marcelo Cirino e Emerson Sheik) e dois desfalques (Cuéllar e Guerrero), o Flamengo perdeu para o Atlético-PR por 1 a 0 e foi eliminada na semifinal da competição após ter feito a melhor campanha da primeira fase.

Apesar de meio time reserva, com Pará, Márcio Araújo, Alan Patrick, Everton, Felipe Vizeu e Gabriel, o time carioca até teve um bom começo. O jogador mais acionado era Gabriel pela ponta direita. A primeira chance veio aos 14, quando após uma virada de Juan, Gabriel dominou, escapou do marcador e deixou a bola com Willian Arão. O volante chutou cruzado e assustou Wéverton.

Quatro minutos depois, o Flamengo chegou com perigo quando a bola foi cruzada duas vezes na área. Na segunda, Juan cabeceou para fora. O lance marcaria o fim da pressão rubro-negra. Com Alan Patrick apagado, o time de Muricy era previsível.

Time abusa dos chutões

Mal na saída de bola, abusando dos chutões, o Flamengo ofereceu o domínio de jogo para o Atlético-PR a partir dos 25. O time paranaense, no entanto, não conseguia finalizar com perigo. O máximo que fez foi um chute de Walter que passou muito acima do travessão.

Antes da ida das equipes ao intervalo, o Flamengo teve sua última oportunidade aos 38. Jorge cruzou e Éverton cabeceou forte. Mostrando reflexo, Wéverton fez grande defesa.

Após um primeiro tempo abaixo da expectativa da torcida, o Flamengo voltou para o segundo tempo modificado. Saiu Éverton, que retornava de lesão na coxa esquerda, e entrou Emerson Sheik. Aos 12, na primeira boa jogada de Alan Patrick, Sheik ficou cara a cara com o goleiro, cortou para o lado esquerdo e cruzou. Mas não havia nenhum companheiro para finalizar.

Aos 16, o Flamengo vacilou na defesa e o Atlético-PR não desperdiçou. Com quase todos os jogadores rubro-negros na área, Marcos Guilherme ficou livre de fora e arriscou um chute forte. A bola foi quase no ângulo: 1 a 0. O rubro-negro carioca acusou o golpe. Quatro minutos depois, os paranaenses já tinham criado outras duas chances de ampliar.

Ederson quase empata

Cansado, Gabriel saiu aos 24 para a entrada de Marcelo Cirino. Em sua primeira bola, após erro da defesa, ele invadiu a área, cortou o marcador e, na hora de concluir, chutou por cima do gol. Logo depois, Ederson entrou no lugar do apagado Alan Patrick.

Nos últimos 15 minutos, empurrado pela torcida, o Flamengo partiu com tudo para o ataque e se expôs. Em duas chances de Pablo, Paulo Victor evitou o segundo gol. Na grande chance do Flamengo, Ederson cabeceou para grande defesa de Wéverton.

ver mais notícias