Com força máxima, Fluminense estreia na Copa do Brasil contra o Tombense

A Copa do Brasil é uma competição que se caracteriza pelos contrastes, alguns deles inusitados. Enquanto o Fluminense, de olho em um caminho mais rápido para a Libertadores, anunciou força máxima nesta quarta-feira, às 21h45m, em Muriaé, seu adversário, o Tombense, vive um dilema em sua escalação por conta da briga contra o rebaixamento no Campeonato Mineiro.

A chance de usar time misto contra um adversário de Série A, embora rechaçada por Leandro Gaviole – diretor de futebol e sobrinho do presidente Leno Gaviole, sócio do agente de jogadores Eduardo Uram – simboliza um clube também envolvido em contrastes. Nascido no amadorismo em 1914, o Tombense mudou de propósito quando comprado por Uram, que passou a usá-lo para registro e negociação de atletas.

Nos últimos anos, contudo, os resultados esportivos fizeram o Tombense se desvencilhar do rótulo de clube de empresário: foi semifinalista do Mineiro em sua estreia na primeira divisão, em 2013, e venceu a Série D no ano seguinte. A ascensão não será posta à prova na Copa do Brasil, mas sim no jogo contra o Uberlândia, domingo, quando precisa vencer para se garantir na elite mineira.

– Houve decisões erradas. Trouxemos jogadores, alguns da própria empresa (de Uram), que não se encaixaram. Agora, além de ficar na primeira divisão do Mineiro, estamos nos reforçando para a Série C – afirma Gaviole, o filho.

Frederico Linhares, locutor da Rádio Sonora de Tombos, aponta a correção de rumo. Após um início hesitante no estadual, chegaram nomes experientes como o lateral Joilson, ex-Botafogo, o atacante Marcelo Macedo, revelado pelo Fluminense, e o volante Doriva, ex-América-MG. O treinador Nei da Mata, trazido durante o estadual, tem vasta bagagem em times mineiros.

Outro jogador revelado em Xerém, o zagueiro Wellington Carvalho, também defende o time mineiro. Vieram ainda jovens como o atacante Leandro Aguiar, artilheiro do América na primeira fase do Carioca, e o meia Wangler, revelado pelo Grêmio e principal organizador de jogadas do Tombense.

– Tentaram fazer um time mais jovem e não deu certo, faltou experiência. Acredito que não vão lançar todos os titulares contra o Fluminense porque tem um jogo importante no domingo – afirma Linhares.

Mesmo se atuar com força máxima, o Tombense se apoia mais em valores individuais do que em um conjunto afinado. Com três anos de clube, o goleiro Darley e o atacante Daniel Amorim são citados como referências por Diego Alves, comentarista da TV Integração, afiliada da Rede Globo em Juiz de Fora. Além de Wangler, o meio-campo tem como trunfo o versátil Gelson: para Alves, ele se destaca quando recuado para formar uma linha de três zagueiros. Já Frederico Linhares elogia os avanços do volante, autor de um gol na surpreendente vitória sobre o América-MG, que deu fôlego na luta contra o rebaixamento.

– O perfil do clube mudou nos últimos anos. Depois que subiu no Mineiro, virou patrimônio da cidade, que tem apenas 10 mil habitantes, está construindo um CT e iniciando um trabalho de categorias de base. O Uram foi importante nessa transição do amadorismo para a elite. Hoje a equipe tem um cardápio maior de jogadores – analisa Alves.

Ficha do jogo:

Tombense: Darley, Saldívar, Matheus, Wellington Carvalho e Paulo Otávio; Doriva, Rodney, Gelson e Wangler; Daniel Amorim e Conrado.

Fluminense: Diego Cavalieri, Jonathan, Gum, Henrique e Wellington Silva; Pierre, Cícero, Gerson e Gustavo Scarpa; Marcos Júnior e Fred.

Juiz: Felipe Duarte Varejão.

Local: Soares de Azevedo (Muriaé-MG).

Horário: 21h45m

Transmissão: TV Globo, Sportv 3 e ESPN Brasil.

ver mais notícias