Clubes paulistas lideram ranking de sócios-torcedores

SÃO PAULO, 22 (AG) – Enquanto o presidente Eurico Miranda estuda um “bolsa-ingresso” para o novo programa de sócio-torcedor do Vasco e os outros times cariocas ainda engatinham no tema, os paulistas lideram o ranking de associados com diferentes estratégias. Pesa muito ter um estádio próprio, como os quatro grandes clubes de São Paulo têm, mas ações de marketing exclusivas também estimulam o crescimento.

No Corinthians, que assumiu a liderança do “torcedômetro”, com mais de 132 mil sócios e o maior crescimento em 2015 (67.751 novas adesões), não basta o ingresso, já que a procura é maior do que a oferta na maioria dos jogosno Itaquerão. Os dados são do Movimento Por Um Futebol Melhor, que desde 2013 informa os números dos clubes participantes. Diretor de marketing do Corinthians, Gustavo Herbetta, que reformulou o programa Fiel Torcedor, explica que são necessárias experiências exclusivas.

– O principal produto que temos para atrair o torcedor é o ingresso, dando prioridade na compra. Mas, por ter uma demanda maior que a disponibilidade, é necessária uma contrapartida para que ele continue pagando por mais que não consiga ingresso. O segundo motivo são experiências exclusivas. Toda sexta-feira, levamos torcedores para assistir ao treino no CT. Além da entrevistas com a imprensa, temos coletivas com os fiéis torcedores. No vestiário, há uma sala de aquecimento a que eles têm acesso, assim como ao gramado antes do jogo – diz Herbetta.

Com estratégia parecida, o “Avanti”, do Palmeiras, conseguiu atrair 62.452 novos sócios em 2015, assumindo a vice-liderança este ano, com quase 127 mil. O presidente do clube, Paulo Nobre, explica que há um programa de milhagem com troca por experiências “que o dinheiro não pode comprar”, como entrar em campo e cantar o hino junto com o time e colocar poltronas a um metro da lateral. Além disso, para atrair torcedores jovens, há desconto de 25% em uma universidade.

– O “Avanti”, independente de o Palmeiras ser o primeiro ou segundo, é um supersucesso. Ganho com sócio-torcedor praticamente o que se ganha com dois patrocínios master na camisa e acredito que possa ser superior a uma cota de TV. Isso dá ao administrador a possibilidade de fazer investimentos diferentes. O grande segredo é ganhar a confiança do torcedor, a credibilidade de que 100% do valor é investido no futebol. Quando o programa foi de 60 para 90 mil, tivemos poder de fogo para fazer contratações que não estavam ao alcance – diz Nobre.

O São Paulo, que firmou uma parceria com a Copa Airlines para dar 50% de desconto a seus sócios e teve o terceiro maior crescimento em 2015 (43.452), está em quinto lugar e começa a encostar no Grêmio (veja o ranking ao lado). O Flamengo, carioca mais bem colocado, em 8ª, uma posição atrás do Santos, teve o 6º maior crescimento no ano passado (12.392), atrás de Remo e Sport.

Para Rafael Pulcinelli, diretor do Movimento Para um Futebol Melhor, os clubes cariocas deveriam explorar melhor as “experiências intangíveis”:

– O Flamengo, por exemplo, poderia estender esses benefícios às suas “embaixadas” em outros estados.

ver mais notícias