Sensores inteligentes em tecidos monitoram a saúde e exercícios

A tecnologia vestível avança cada vez mais nas áreas de saúde e do fitness. Agora, sensores em peças funcionais podem ajudar a otimizar exercícios físicos, monitorando sequências de movimentos.

Uma aposta desenvolvida pela Fraunhofer ISC permite que sensores inteligentes para medição de movimento sejam impressos sobre tecidos. O material inovador foi apresentado em abril de 2016 na feira DTechEx Europa, em Berlim.

Acessórios como pulseiras ou relógios inteligentes são tendências como ‘treinadores pessoais de saúde’, fornecendo dados sobre a qualidade do sono, exercícios físicos ou de uma dieta saudável. Sensores inteligentes incorporados aos tecidos são uma abordagem muito mais desafiadora e também mais cara.

Muitas vezes a função acaba substituindo a aparência e isso não é bom. Os novos materiais desenvolvidos pela Fraunhofer ISC podem oferecer uma alternativa mais barata e com o benefício extra de dar opções de aparência ajustáveis à roupa ficando quase imperceptível.

A nova tecnologia foi integrada a uma camiseta protótipo chamada MONI, que contará com uma série de funções, além de monitorar sequências de movimentos. Na primeira etapa, a Fraunhofer ISC desenvolveu sensores impressos com tinta piezoelétrica feita a partir de novos polímeros livres de solventes tóxicos capazes de monitorar movimentos e saúde do usuário, enviando os dados para um aplicativo.

Os materiais dos sensores são flexíveis, transparentes e adequados a várias aplicações nos tecidos inteligentes, como registar a pressão e deformação, servindo como sensores de toque ou movimento. A sensibilidade à variações de temperatura permite maior acompanhamento de mudanças de temperatura ou interação ao não-contato, por exemplo, como sensores de proximidade.

Um processo de serigrafia simples faz a aplicação das pastas de sensores sobre tecidos ou películas de plástico. A fabricação abrange duas etapas: primeiro, o desenho é impresso e, em seguida, os sensores são submetidos a um campo elétrico para que os polímeros piezoelétricos fiquem alinhados e sensíveis à pressão.

O processo de impressão dos sensores é uma vantagem definitiva, quando se trata de custos e uso industrial. Ele é a chave para a produção em massa de sensores inteligentes impressos sobre tecidos.

A tecnologia vestível para moda fitness e desportiva está muito mais encaminhada do que a tecnologia vestível para moda casual, pois os usos são totalmente diferentes. Na moda casual, os usos seriam em roupas que podem mudar de cor e estampa, em roupas climáticas que protegem do frio e calor, roupas repelentes a líquido, sujeira e resistentes a furos.

Graças à sua transparência e flexibilidade, o novo sensor impresso oferece liberdade de design na cor e na forma para tecidos e roupas inteligentes. Como eles são muito mais finos do que um cabelo humano e aplicáveis a qualquer forma, dificilmente são notados quando aplicados em uma peça de roupa.

Expositor da companhia na feira alemã DTechEx Europa e o tecido em destaque

Há ainda outro benefício: os sensores não necessitam de qualquer fonte de energia como uma bateria. Em vez disso, eles colhem energia e podem ser lavados à máquina. Tecidos inteligentes como este podem ser empregues para cuidados de saúde em hospitais e clínicas.

As roupas inteligentes podem monitorar movimentos no dia a dia, analisar dados obtidos e mostrar qualquer tipo de insuficiência. Além disso, seria possível monitorizar os sinais corporais de pacientes internados, tais como a temperatura ou a respiração. Isto pode ser especialmente benéfico para os doentes acamados ou bebês.

Em pouco tempo, esses sensores inteligentes em nossas roupas estarão conectados a dispositivos de inteligência artificial (AI), como o VI, que se tornarão médico e personal trainer particular. E os dados serão mostrados pela AI no smartphone pulseira.

Até mesmo o monitoramento da saúde do coração pode ser possível. Por último, mas não menos importante, as roupas funcionais com sensores inteligentes poderiam ajudar na redução de custos do sistema de saúde, fazendo o monitoramento dos pacientes com cuidados de saúde preventiva.

Além dos sensores inteligentes impressos em tecidos, a Fraunhofer ISC desenvolveu sensores de pressão de silicone integrados aos tecidos para medir a pressão na palmilha dos sapatos. No futuro, as nossas roupas não servirão somente para nos cobrir, proteger do clima ou com função decorativa, mas também como computadores vestíveis que nos ajudam a ter uma vida mais saudável.

Compartilhar

ver mais notícias