Dicas para pais manterem segurança de filhos na net

Ainda que tenha sido “abafado” pela euforia do Carnaval, o Dia da Internet Mais Segura, comemorado nesta terça-feira (9), propõe uma reflexão sobre os perigos das más práticas online, bem como sobre o uso seguro e responsável das tecnologias.

Com o tema “Faça sua Parte por uma Internet melhor”, Antigone Davis, chefe de segurança global do Facebook, ressalta o “importante papel dos pais” em tornar o ambiente virtual um lugar mais seguro para os filhos. E, para auxiliá-los nessa difícil missão, a especialista aponta cinco dicas e truques capazes de manter as crianças menos vulneráveis na web.

1. Traga para o mundo virtual a experiência do mundo real

Busque aplicar as mesmas regras que usa com o seu filho offline no mundo online. Se a criança lida melhor com acordos, crie um contrato que possa ser “assinado” por ambos. Deixe bem claras as regras básicas. O ideal é estabelecer os limites na compra do primeiro dispositivo móvel.

2. Lembre-se: seus filhos vão “fazer o que você faz, não o que você diz”

Tente ser um bom exemplo. Se você estabelece restrições sobre quando o seu filho pode usar as redes sociais ou ficar online (exemplo: nada de mandar mensagem depois das 22h), ter o mesmo comportamento faz uma grande diferença. Se você quer que seu filho seja civilizado online, seja civilizado também e mostre respeito nos seus próprios textos.

3. Interaja com seus filhos o quanto antes

Os pais devem interagir com seus filhos logo que eles estrearem nas mídias sociais, adicionando-os logo que eles entrarem no Facebook ou seguindo-os no Instagram logo que criarem uma conta. Mesmo antes de eles ingressarem no mundo virtual, fale com eles sobre a tecnologia de um modo geral. Isso pode ajudar a estabelecer a base para futuras conversas.

4. Aproveite momentos chave

Existem bons momentos para ter essas conversas: quando eles ganham o primeiro celular (é bom para estabelecer regras básicas), quando o seu filho faz 13 anos e atinge a idade mínima para entrar no Facebook, no Instagram e em outros serviços de mídias sociais, ou quando o seu filho começa a dirigir (é um bom momento para discutir a importância de não enviar mensagens ao volante).

5. Peça para os seus filhos te ensinarem

Não está no Instagram? Talvez você esteja interessado em tentar usar um serviço de streaming de música. Se o seu filho já tem familiaridade com esses serviços, eles podem ser um recurso excelente. A conversa pode também servir como uma oportunidade para falar sobre questões de segurança, privacidade e proteção. Exemplo: talvez você possa perguntar para seus filhos sobre as configurações de privacidade enquanto você configura sua própria conta. E, como a maioria dos pais sabem tudo muito bem, seu filho vai gostar da oportunidade de lhe ensinar algo.

Via UOL

ver mais notícias