Valesca desabafa sobre projeto que criminaliza o funk: "não se pode calar uma cultura"

Um projeto de lei enviada ao Senado consiste em criminalizar o funk como “crime de saúde pública”. A proposta tem mais de 20 mil assinaturas e tem autoria do empresário paulista Marcelo Alonsa.

Valesca, com 17 anos de carreira no gênero, saiu em defesa e afirmou que além de não se calar uma cultura, ela ter crescido ouvindo funk e frequentando bailes não lhe fez uma pessoa pior, muito pelo contrário.

A proposta já chegou nas mãos do senador Romário (Podemos-RJ), que logo se mostrou contra, mas propôs que seja realizada uma audiência pública sobre o tema com a presença de artistas, como Valesca, além de sociólogos. A data ainda será definida.

Outros artistas

No mês passado, quando a notícia da proposta estourou na web, Anitta usou sua conta no Twitter para manifestar todo o seu descontentamento diante disso. Ela escreveu que “22 mil desinformados estão precisando sair do conforto de seus lares para conhecer um pouquinho mais do nosso país”. Disse que o funk gera trabalho, gera renda, e que basta uma visita às áreas menos nobres para descobrir isso rapidamente.

ver mais notícias