Raul Gazolla sobre Bruno e Guilherme de Pádua: 'Assassinos para sempre'

Hoje com 61 anos, Raul Gazolla passou por alguns dramas pesados ao longo da vida. O ator teve a mulher, Daniela Perez, morta a tesouradas em 1992, num crime que chocou o país. Depois disso, ele se afastou da TV, enfrentou problemas de saúde, sofreu infarto e depressão. Mais tranquilo hoje, Gazolla volta à TV como um lutador de MMA em ‘A Força do Querer”, próxima novela de sua ex-sogra, Gloria Perez.

 

Em conversa com o Extra, o ator relembrou parte dos dramas vividos e a recuperação pela perda da antiga companheira.

“Parece que foi ontem. Perder uma pessoa por assassinato é diferente. Quando perdemos alguém para uma violência pessoal, para o desequilíbrio emocional de pessoas que não precisavam estar nesse planeta, a recuperação é mais complicada. Eu não penso na presença da Dani espiritualmente. O que eu peço sempre é que ela esteja muito bem onde ela está. Ela precisa descansar”, declarou.

Passados 25 anos da morte da atriz, Gazolla lamenta a fragilidade do sistema judiciário brasileiro. “A dor maior é saber que o Brasil não pune seus criminosos como devia. Pessoas que cometem crimes estão soltas por aí. Olha o goleiro Bruno, que foi contratado por um time de futebol! Um criminoso não é ex-criminoso. A vítima dele não retorna. Pelo amor de Deus, as pessoas têm que ter um pouco de discernimento! O goleiro Bruno e os outros assassinos vão ser assassinos para sempre. Guilherme de Pádua quer ser chamado de ator? Ele já foi ator e não conseguiu continuar porque se especializou em crimes. É um assassino. Ponto final”, desabafa.

ver mais notícias