Segunda irmã Wachowski declara públicamente ser transgênera

RIO – Oito anos depois de Lana – até então Larry – Wachowski, da dupla de cineastas responsável pela trilogia “Matrix”, ter revelado ao mundo sua condição de mulher transgênera, agora foi Lilly, antes Andy, fez o mesmo anúncio. A revelação foi feita pela própria diretora em artigo publicado nesta terça-feira no site de notícias LGBT Windy City Times, sob o título irônico “Mudança de sexo chocante – Os Irmãos Wachowski agora são irmãs!!!”.

Segundo o texto, ao longo do último ano, Lilly temia ver essa manchete publicada em jornais, diante do número de repórteres que procurava seus assessores à cata de informações sobre “a mudança de sexo de Andy”. No artigo, ela explica que na noite da última segunda-feira, um repórter do jornal inglês Daily Mail a procurou em sua casa e disse querer conversar com ela e contar ao mundo sua história inspiradora. Após ele ir embora, conta Lilly, ela se lembrou que o jornal havia relevado publicamente que uma professora inglesa era uma mulher transgênera e a classificou como “uma influência prejudicial para as crianças”. Diante disso, a diretora decidiu se antecipar e revelar publicamente que havia feito a transição de gênero.

“Eu era assumida para minha família e meus amigos. E para a maioria das pessoas com quem trabalho. E todos lidam bem com isso”, diz Lilly no texto. “Sem o amor e o apoio de minha mulher e de minha família e amigos, eu não estaria onde estou hoje.”

A dupla, que começou escrevendo histórias em quadrinhos, alcançou fama mundial em 1999, com o filme de ficção científica “Matrix”, estrelado por Keanu Reeves. Na época, assinavam seus trabalhos como “Os Irmãos Wachowski”. Além das duas sequências de “Matrix”, escreveram e produziram “V de Vingança”. Seus trabalhos mais recentes – “Speed Racer”, de 2008, “A viagem”, de 2012, e “O destino de Júpiter”, de 2015 -, não provocaram tanto entusiasmo. Com a transição de gênero de Lana, tornada pública em 2008, a dupla passou a assinar seus filmes apenas como Wachowskis.

Seu trabalho mais recente, em parceria com o roteirista e produtor J. Michael Straczynski, é a série de ficção científica “Sense 8”, produzida e exibida pelo Netflix. A série conta a história de oito pessoas de diferentes os lugares do mundo, conectadas mentalmente. Um dos personagens, Nomi, é uma mulher transgênera, assim como a atriz que a interpreta, Jamie Clayton.

ver mais notícias