Obra póstuma de Zaha Hadid é inaugurada na itália

RIO — Cruzeiros marítimos costumam desembarcar milhares de passageiros ansiosos para ver atrações turísticas adiante das docas, mas, no caso de Salerno, charmosa cidade italiana de 133 mil habitantes ao sul de Nápoles, o primeiro cartão-postal obrigatório passará a ser o próprio terminal naval, criado pela arquiteta Zaha Hadid e inaugurado na segunda-feira.

Ao se aproximar da costa, a silhueta horizontal e fluida dessa estrutura de concreto, sustentada por paredes inclinadas, destaca-se dos edifícios corpulentos de estilo clássico à beira-mar. O local da construção foi estrategicamente escolhido por Zaha, a bordo de um barco da polícia, levando em conta a vista de quem chega pelo mar. O projeto venceu uma competição local em 2000.

O primeiro-ministro, Matteo Renzi, visitou o lugar no domingo e chamou a criação da arquiteta iraquiana de “obra-prima”. Zaha morreu no dia 31 de março, sem ver a obra do terminal concluída. Como homenagem, Salerno espalhou um retrato dela pela cidade toda, e metade da equipe de 400 funcionários do escritório da arquiteta, em Londres, foi ao município italiano para festejar a inauguração.

A prefeitura encomendou o terminal para ajudar a aliviar o congestionamento em suas estradas e incentivar uma forma sustentável de explorar a região. O design futurista tem precedentes na Itália: desde a década de 1920, autoridades comprometidas com a industrialização do país têm encomendado edifícios em estilo modernista, primeiramente para estações de trem, como aquelas em Florença, Nápoles e Roma, e depois estruturas rodoviárias. O terminal de Zaha é considerado um trunfo para a região, para atrair navios de cruzeiro e mais turistas.

ver mais notícias