FGTS libera R$ 2,5 bilhões para linha pró-cotista do BB

São Paulo – O Banco do Brasil acaba de receber 2,5 bilhões de reais para a realização de financiamentos de imóveis pela linha Pró-Cotista, que utiliza recursos do Programa Especial de Crédito Habitacional ao Cotista do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). 

A aprovação da verba foi feita pelo Conselhor Curador do FGTS nesta terça-feira (26) e foi divulgada com exclusividade para EXAME.com pelo Banco do Brasil. 

A grande vantagem da linha Pró-Cotista é a sua taxa de juros, que está entre as menores do mercado e só perde para as taxas praticadas pelos financiamentos realizados pelo programa Minha Casa Minha Vida.

Enquanto os juros da linha pró-cotista do BB são de 9% ao ano, em outros financiamentos do banco os juros partem de 11,29% ao ano. Já na Caixa Econômica Federal, os juros variam entre 10% e 12,5% ao ano. 

Simulação feita a pedido de EXAME.com pelo site Canal do Crédito, que é especializado na comparação de custos de financiamentos, mostra que ao financiar 80% de um imóvel de 500 mil reais, pelo prazo de 30 anos, a diferença no valor final pago entre a Pró-Cotista, com a taxa de 9% ao ano, e outro financiamento, com taxa de 11,29%, é de 126 mil reais.

Em nota enviada por e-mail, o BB afirma que identificou 524 mil clientes com potencial de utilização da linha pró-cotista. O banco diz que deve divulgar a liberação dos novos recursos a esses potenciais clientes pela internet, pelo celular e pelos terminais de autoatendimento e afirma ainda que tem entrado em contato com incorporadoras e construtoras parceiras para ampliar a concessão dos créditos.

Requisitos

Para ter acesso à linha Pró-Cotista FGTS do BB, o tomadar precisa ter contribuído ao FGTS por mais de três anos, consecutivos ou não, na mesma empresa ou em empresas diferentes. Caso o tomador se enquadre nessa exigência, a conta vinculada ao fundo deve estar ativa, ou seja, o trabalhador deve estar empregado e realizar atualmente contribuições mensais ao FGTS.

A linha só é concedida para tomadores com contas inativas – que estejam desempregados ou que não estão contribuindo ao FGTS por estar trabalhando sob outro regime de trabalho, por exemplo – caso o saldo do FGTS seja equivalente a pelo menos 10% do valor do imóvel.

Não há restrição com relação à renda familiar dos compradores. No entanto, a linha só pode ser usada para financiamentos de imóveis de até 750 mil reais em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal, e de até 650 mil reais nos demais estados.

O comprador também não pode ter outro financiamento imobiliário e nem a posse de outro imóvel residencial urbano, concluído ou em construção, na mesma cidade, em municípios limítrofes ou na região metropolitana da cidade onde vive. Preenchidos os requisitos, o uso do saldo do FGTS no financiamento é opcional.

O prazo máximo de financiamento é de 30 anos e o crédito só é concedido se os valores das parcelas não ultrapassarem 30% da renda familiar mensal do tomador (veja mais detalhes sobre as exigências do Banco do Brasil para financiamentos pela linha pró-cotista).

Oportunidade

Além de ter juros reduzidos, outra vantagem da Pró-Costista é que ela é a única linha do BB que permite financiar até 90% do valor do imóvel, seja ele usado ou novo. Nas demais linhas, o limite de financiamento é de 80%. 

A título de comparação, na Caixa, o limite de financiamento de imóveis usados é de 70% para trabalhadores privados e de 80% para trabalhadores públicos, no caso de imóveis enquadrados no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) – que inclui imóveis de até 750 mil reais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e no Distrito Federal, e de até 650 mil reais nos outros estados. 

Marcelo Prata, presidente do Canal do Crédito, afirma que a liberação de recursos para a linha do BB é uma janela de oportunidade única. “É um belo sinal em um momento muito difícil para o mercado imobiliário. Diferentemente da Caixa, o Banco do Brasil tem focado em crescer no varejo e atender o mercado de imóveis usados.”

A notícia também merece atenção pelo fato de que clientes da Caixa têm relatado dificuldades para realizar financiamentos pela Pró-Cotista. Com os altos e baixos na concessão da linha, Prata recomenda que o interessado garanta seu financiamento o quanto antes, já que os recursos podem voltar a ficar escassos a qualquer momento.

ver mais notícias