Cientistas protestam contra estudo de anatomia que mencionaria Deus

RIO — Um artigo científico sobre a anatomia da mão humana foi retirado da edição mais recente da conceituada revista científica “PLOS One” após uma série de críticas sofre suas menções a um “Criador”.

O texto, que foi revisado ​​e publicado na revista on-line do dia 5 de janeiro, explora a ligação entre a arquitetura biomecânica da mão e sua capacidade de coordenar os movimentos.

Mas a revista provocou um furor na comunidade científica devido à aparente mensagem teísta do artigo. Os pesquisadores afirmaram que “a coordenação da mão deve indicar o mistério da invenção do Criador”.

Escrito por pesquisadores da Universidade Huazhong de Ciência e Tecnologia (China) e pelo Instituto Politécnico Worcester de Massachusetts (EUA), o estudo afirmou que a relação entre a estrutura anatômica da mão e sua capacidade de agarrar objetos é “o projeto adequado pelo Criador para realizar uma infinidade de tarefas diárias de uma maneira confortável”.

Esta convicção é repetida na introdução e na conclusão do artigo, onde afirmam que “nosso estudo pode melhorar a compreensão do lado humano e confirma que a arquitetura mecânica é o projeto definido pelo Criador para o desempenho ágil de inúmeras funções, seguindo a remodelação evolutiva durante milhões de anos”.

Apesar do teor do texto, não houve à época contestação entre seus revisores — especialistas que leem os artigos, podendo reprovar sua publicação ou recomendar alteração em passagens.

A publicação do estudo, porém, foi recebida com uma enxurrada de críticas na internet. “Um artigo sobre a anatomia da mão que contém imprecisões anatômicas e referências a um ‘Criador’. @PLOSONE Estou chocada!”, tuitou a anatomista e radialista Alice Roberts, entre muitos outros.

“Estava esperando que este trabalho fosse uma farsa”, escreveu outro comentarista, que se identificou como Dr. Raja Chatila no site da “PLOS One”. Diversos comentários reivindicaram o boicote da publicação.

Um dos autores do estudo, Ming-Jin Liu assegurou que a pesquisa não é criacionista e afirmou que a palavra “Criador” pode ter sido fruto de uma confusão na tradução do texto. No entanto, em sua última edição, a revista reagiu a Liu e afirmou que retiraria o artigo de seu site, atendendo ao pedido dos leitores.

“Após a publicação, os leitores levantaram preocupações sobre a linguagem do artigo que faz referências a um ‘Criador’, e sobre a fundamentação e as conclusões do estudo”, afirmou o editorial da revista, ressaltando que o artigo foi relido. “Esta avaliação confirmou a preocupação com a racionalidade científica, a apresentação e linguagem, que não foram abordadas de forma adequada durante a revisão pelos especialistas. Consequentemente, os editores da PLOS ONE consideram que o trabalho não pode ser invocado e deve ser retirado de nossa publicação”.

ver mais notícias