Fusão de secretárias e "cortes" demonstra o fracasso do governo de José Melo

O governador José Melo (Pros) reafirma que deverá fazer novas alterações na máquina administrativa do Executivo estadual até a primeira quinzena de março.

Nesta quinta-feira (11), durante entrevista à imprensa no Comando da 12ª Região Militar do Exército, onde explicou detalhes da operação em conjunto com as Forças Armadas para combate ao mosquito Aedes aegypti, Melo confirmou que está analisando a possibilidade de mais cortes na administração estadual.

De acordo com técnicos, dentre as alterações previstas está a extinção de cargos e percentuais mais rígidos de cortes de gastos. Entre as possíveis mudanças, está a fusão das secretarias de Estado de Assistência Social (Seas) e de Trabalho (Setrab), comandadas, respectivamente, por Regina Fernandes e Breno Ortiz.

A Setrab tem como principal missão executar políticas públicas voltadas à promoção de emprego e renda, bem como de novas oportunidades de trabalho. Já a Seas tem como objetivo a garantia de direitos e prerrogativas do cidadão. Ontem, o governador não descartou as alterações, mas disse que agirá de acordo com o cenário econômico.

Outro fator que reforça a fusão entre as duas entidades é o histórico da administração Melo. Em 2015, uma das suas primeiras medidas após ser eleito foi unificar a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) com a Secretaria de Estado do Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan), além da fusão da Fundação Vila Olímpica (FVO) à Secretária de Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e a transferência da Secretaria Executiva de Políticas Públicas às Mulheres para a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

No dia 1º de fevereiro deste ano, durante a leitura da mensagem governamental na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), o governador já tinha informado a respeito de novos cortes no Executivo estadual.

 

ver mais notícias