Marcela Bonfim expõe imagens dos costumes e influências da Amazônia Negra

A exposição de fotografias impressas em madeira tem temporada até o mês de junho no Espaço Cultural Cujuba, em Porto Velho, Rondônia.

A fotógrafa Marcela Bonfim mostra a “Amazônia Negra” registrada em suas lentes. As imagens fazem parte da exposição que começa neste sábado (21/05), no Espaço Cultural Cujuba, em Porto Velho (RO). São 33 fotografias impressas em madeira. O trabalho faz parte do projeto “ (Re) Conhecendo a Amazônia Negra: povos, costumes e influências negras na floresta”.

As fotografias são registros produzidos por Marcela Bonfim em suas andanças em Porto Velho e quilombos do Vale do Guaporé e na procura da identidade dos descendentes de africanos que contribuíram para o desenvolvimento de Rondônia.

A exposição é feita em parceria com o Sesc/Rondônia e ficará em temporada até o dia 20 de junho no Cujuba. A mostra tem montagem da artista plástica Margot Paiva e da arquiteta Regina Morão

.

Marcela Bonfim é paulista de Jaú e descobriu em Rondônia uma Amazônia negra, além da indígena que ela já esperava encontrar em Porto Velho, onde passou a morar a partir de 2010.

“O projeto (Re) Conhecendo a Amazônia Negra propõe uma   reflexão das artes visuais, no campo da antropologia visual, sobre a constituição e memória da população negra brasileira na região amazônica”, explica a fotógrafa.

Economista e ativista cultural pelas causas dos negros, povos tradicionais, populações de rua e presidiários, Marcela Bonfim faz da máquina fotográfica um instrumento de militância pelo reconhecimento do papel dos africanos na formação da Amazônia e na defesa da sua autoestima, com o olhar de quem se reconhece no foco da câmara.

ver mais notícias